sábado, 12 de junho de 2021

Notícias

In:

Crianças participam de atividades no Dia Internacional da Paz

Por Ivan1

Brincadeiras lúdicas com as crianças do Jacintinho e outras atividades foram desenvolvidas para celebrar o Dia Mundial da Paz (Foto: Ascom Sepaz)

Brincadeiras lúdicas com as crianças do Jacintinho e outras atividades foram desenvolvidas para celebrar o Dia Mundial da Paz (Foto: Ascom Sepaz)

   O Dia Internacional da Paz, celebrado oficialmente no domingo (21), foi marcado por atividades educativas e brincadeiras para crianças, na Praça do Mirante, localizada no bairro do Jacintinho, em Maceió, por iniciativa da Secretaria de Estado da Promoção da Paz (Sepaz).
Proclamado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1981 como um dia de cessar fogo e não-violência em todo o mundo, a data marca um dia em que as pessoas não só pensem na paz, mas façam algo para construí-la.
Várias atividades para lembrar a data foram realizadas pela Sepaz na capital e no interior do Estado, desde a última quarta-feira (17).
“A paz é algo que precisa ser construída, que deve fazer parte da cultura das pessoas desde a infância, por isso é tão importante trabalharmos esse tema com as crianças. O Dia Internacional da Paz reforça essa nossa missão e destaca o quanto é importante desenvolvermos ferramentas e ações práticas para uma cultura de paz e não-violência na escola, na família, no nosso dia a dia”, comentou o secretário de Estado da Promoção da Paz, Adalberon Sá Júnior, que participou das atividades no Jacintinho.
No domingo (21), além de brincar em pula-pula e piscina de bolinhas, as crianças do Jacintinho fizeram pinturas sobre o tema cultura de paz, usaram revistas educativas infantis e acompanharam uma brincadeira lúdica, tudo em frente à Casa de Direitos, localizada na Praça do Mirante.
Para dona Ana Selma, moradora do bairro que levou a filha de 3 anos de idade, a iniciativa “foi uma maravilha”. “Antes a gente não usava isso aqui, essa praça era abandonada. Depois que construíram essa Casa de Direitos aqui, melhorou muito. Se não fosse essa atividade aqui, minha filha iria estar em casa comigo”, comentou a moradora.
Quem também levou o filho foi o senhor Samuel do Nascimento, morador do Jacintinho há 35 anos. “Isso aqui é um privilégio, foi a melhor coisa. Aqui era abandonado. Esse tipo de evento devia ter mais vezes para nossas crianças”, reforçou seu Samuel, que estava com o filho de 9 anos de idade.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *