terça-feira, 22 de junho de 2021

Notícias

In:

Para discutir agronegócio local, diretoria do Sebrae Alagoas recebe secretário estadual de Agricultura, Maykon Beltrão

Por João Paulo Macena

Direx e o titular da Seagri discutem temas como o desenvolvimento e desafios do setor em Alagoas / Foto: Kelvin Gomes

Na manhã desta quinta-feira (06), a Diretoria Executiva (Direx) do Sebrae Alagoas recebeu para reunião o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Maykon Beltrão. Em pauta, estiveram temas como alguns projetos do Sebrae em parceria com a Seagri/AL, como o Programa de Melhoramento Genético de bovinos, desenvolvimento e desafios do agronegócio no estado, principalmente diante do cenário da pandemia.

Durante a reunião, os participantes ainda abordaram questões como o Selo Arte, e a Inspeção Estadual, além das possibilidades para agregar valor aos produtos do agronegócio e ligados às manifestações culturais alagoanas.

Diretor superintendente do Sebrae Alagoas, Marcos Vieira, ressaltou que um dos grandes desafios do setor é estimular a produção de pequenos produtores e indústrias locais, fazendo com que esses itens cheguem às prateleiras dos supermercados alagoanos.

“Ainda vemos nos supermercados uma série de itens que são produzidos aqui, vindos de outros estados. O ideal é estimular a produção de alguns desses produtos aqui no estado para serem escoados por distribuidores locais, como faz, por exemplo, a Cooperativa Pindorama”, conclui Marcos Vieira.

O diretor técnico do Sebrae Alagoas, Vinícius Lages, falou sobre a abrangência das Agências de Atendimento Integradas do interior, com escritórios em Arapiraca, Delmiro Gouveia e Penedo, bem como destacou a importância da inovação voltada ao agronegócio.

“Em Alagoas, consideramos que o agronegócio passa por um momento interessante de diversificação e manteve-se vivo. O setor sucroalcooleiro está dando uma resposta, batendo recordes. Um tema que trabalhamos é a inovação. Tem muita gente do setor já apostando em coisas novas, novas tecnologias e modelos de negócio que podem ser trabalhados, por exemplo, com startups ligadas ao agro e, assim, criar um ecossistema de inovação ligado a isso”, pontua.

Outra pauta discutida foi a cultura do camarão no Semiárido e Agreste Alagoano, além de formas de dispensa de licenciamento e saída do camarão de forma legalizada. O secretário Maykon Beltrão lembrou os projetos já feitos com a doação de alevinos (tambaqui) aos pequenos produtores nas duas regiões e ressaltou a força do setor no país.

“O agronegócio já tem suportado a economia do país e do estado de Alagoas e será ainda mais forte após pandemia. Nossa ideia é fortalecer a agricultura familiar para incentivar cada vez mais atividades e gerar emprego e renda no estado”, afirma o secretário.

Oportunidades para pequenos produtores

Em pauta, ainda estiveram assuntos como o turismo rural e a avicultura, além de oportunidades para pequenos produtores rurais do estado, como a já debatida cultura do camarão e peixes, e hortifruticultura.

“Temos que fortalecer todos esses segmentos que envolvem o pequeno. Por exemplo, uma grande empresa fabricante de extrato de tomate vai ser lançada em Rio Largo. Eles compram matéria-prima de fora, mas querem incentivar o plantio de tomate e goiaba aqui no estado e nós vamos apoiar isso”, frisa o secretário.

Diretor de Administração e Finanças do Sebrae Alagoas, Roberval Cabral, enfatiza que estreitar essa parceria com o Sebrae e outras entidades é importante para que a Seagri/AL potencialize suas ações junto aos pequenos negócios.

“É fundamental que a secretaria coloque em pauta a assessoria de entidades como a Federação da Agricultura, a Fiea e a Fecomércio, que são setores coligados ao agronegócio, desde o plantio, industrialização e comercialização. Compondo essas três federações e com o potencial da parceria do Sebrae, junto aos pequenos negócios, o sucesso da Seagri será ainda maior”, afirma.

Também participaram da reunião a gerente da Unidade de Competitividade e Desenvolvimento (UCD) do Sebrae Alagoas, Renata Fonseca, e o analista da UCD, Henrique Soares.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *