quinta-feira, 13 de Maio de 2021

Notícias

In:

Concentração seletiva

Por Rostand Lanverly

 Torna-se visível a preocupação demonstrada por Jesualdo com a sobrinha Germínia, principalmente quando se trata do seu desligamento nas coisas que realiza.

            Recordou quando certa vez, recebeu um telefonema da parenta, lhe contando haver ficado em recuperação em matemática, mas algo errado havia acontecido pois tinha respondido e conferido, os quesitos da prova, estando todos corretos.

Como o colégio já estava no recesso de final de ano, resolveu visitar as freiras na casa de praia da congregação situada fora da capital. Lá chegando depois de muita confusão, a Madre, resolveu voltar a Maceió, para verificar a realidade dos fatos.

Já nas dependências do estabelecimento escolar, depois de uma exaustiva busca o envelope da turma procurada foi achado. Para surpresa de Jesualdo, ao receber a prova para análise do que estava ali escrito nada encontrou, a não ser um único nome: Germínia.  A Madre olhou para o rosto do tio que envergonhado pediu desculpas. O retorno ao retiro a beira-mar aconteceu em silencio de ambas as partes.

Mas o tempo passou e Jesualdo viajou em férias, na companhia de sua esposa Generosa e da amada sobrinha, foram conhecer as belezas do Rio Grande do Sul. Em Porto Alegre, alugaram um veículo e tomaram a estrada.

No trajeto choveu a cântaros e o pior era que a água do dilúvio entrou no interior do veículo, já cobrindo os pés dos passageiros. Germínia que se encontrava no banco de trás, baixou o vidro e usando uma tampa de garrafa térmica retirava a agua com se em um barco estivesse.

Ao chegarem na cidade de Gramado, ela confidenciou que logo no início da viagem, teve uma vontade muito grande de urinar, e como não quis pedir para parar, usando uma tesoura que trazia na bolsa, retirou um tampão de plástico existente no assoalho por debaixo do tapete, acocorou sem ninguém notar e se aliviou.

            Em Caxias do Sul, Germínia, resolveu comprar cartões postais como lembrança. Entrou em uma lojinha, pegou vários espalhados sobre a mesa. Um sujeito com sotaque alemão, lhes disse: – são meus. No que ela respondeu: – sério, você é fotografo? Meus parabéns são lindíssimos, e continuou selecionando outras imagens. Então o cidadão de forma grosseira, falou algo que não entendeu. Após separar mais alguns sob o olhar furioso do germânico, pagou e foi embora.

            Logo depois contando o acontecido para Jesualdo, chegaram a conclusão que o rapaz, não era fotografo coisa nenhuma, mas sim turista, e Germínia na maior cara de pau havia pego os cartões postais por ele já escolhidos.

            Dia seguinte, Germínia ao passear nas ruas da cidade, todos sorriam ao lhe olharem. De volta ao hotel, mirando o espelho, viu estar o seu rosto laranja. Rapidamente notou que havia usado creme autobronzeador e não o necessário para hidratar a pele.

            Já em um restaurante solicitou refeição para três. Como passou um longo tempo do pedido realizado sem ser atendida, achou estranho. Foi quando Jesualdo percebeu existir um espelho por detrás do balcão. Então Germínia falou: – bem que eu achei a moça a quem fiz o pedido muito parecida comigo.

            Germínia teima em afirmar não ser desligada, sua concentração é que é seletiva

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *