segunda-feira, 17 de Janeiro de 2022

Notícias

In:

CRB vence jogaço contra o CSA e leva para casa a cobiçada taça do tri

Por Redação com GE

07-05-2017_csa_x_crb_ac_5598

GALO É TRI!

O tricampeonato do CRB foi conquistado num jogo especial, inesquecível para quem viu. Foi disputado palmo a palmo, foi intenso e ainda teve cinco gols. O regatiano não poderia pedir mais da decisão. Adalberto, Mailson e Neto Baiano marcaram neste domingo e entoaram a música do título alagoano. Celsinho e Daniel Costa descontaram, ainda no primeiro tempo. A vitória por 3 a 2 do Galo também deu ao time o 30º caneco do estadual, o quinto nos últimos seis anos. Hegemonia na década está mantida em Alagoas.

GOL DO TRI FOI MESMO DELE

Um nome, em especial, merece destaque nas finais. Neto Baiano marcou duas vezes na decisão do ano passado e repetiu o feito em 2017. Estrela enorme na testa. Fez gols até acrobáticos contra o CSA e tirou onda no Rei Pelé. A música que a torcida fez pra ele vai virar hit em Alagoas. O gol do tri foi mesmo do camisa 9.QUE PRIMEIRO TEMPO!
O primeiro tempo foi alucinante. Ninguém ficou guardando posição na defesa, esperando. Mesmo o CRB, que jogava pelo empate, foi para o ataque e não esperou muito para abrir o placar. Aos 10 minutos, Edson Ratinho cobrou escanteio pela direita, Adalberto subiu soberano no meio da defesa e cabeceou com violência. A torcida do CSA levou a pancada, mas explodiu aos 16 minutos. Potiguar cruzou da esquerda e Celsinho cabeceou para empatar o clássico.

O jogo não parou. Um minuto depois, veio o troco. Diego cruzou da esquerda, Danilo Pires ajeitou e, também de cabeça, Mailson desempatou para o Galo. Aos 32, Neto Baiano fez um gol acrobático, no estilo Ibra. Dominou na área e virou com uma finalização indefensável para Mota: 3 a 1. A parada parecia até resolvida, mas Daniel Costa colocou o Azulão no jogo mais uma vez. Foi aos 36 minutos. Ele bateu uma falta com força e veneno: Juliano ficou no meio do caminho, olhando, e a bola morreu no ângulo.SEGUNDO

TEMPO

O CSA se lançou ao ataque no segundo tempo. Não tinha alternativa mesmo. Quase empatou aos 11 minutos. Dawhan bateu de fora da área, por baixo, e acertou o poste do CRB. O Galo se fechou mais na defesa e tentava o contra-ataque. Condé até trocou o centroavante Neto Baiano pelo velocista Maxwell.

Aos 22 minutos, Douglas cochilou e Mailson recebeu com liberdade. Bateu sem muita força e facilitou a defesa do goleiro Mota. O empate quase veio aos 35 minutos. Potiguar cruzou da direita e Cleyton, sem marcação, cabeceou para baixo. Juliano fez uma grande defesa e garantiu o tricampeonato do Galo.

Compartilhe:
Tags: ,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *