domingo, 15 de setembro de 2019

Notícias

In:

Patric revela conhecimento do La Equidad: ‘Atleta não é burro, e sim informado’

Os jogadores do Atlético-MG conhecem muito bem o time do La Equidad, da Colômbia, adversário desta terça-feira, às 21h30, no Independência, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana. Um exemplo deste conhecimento foi dado pelo lateral-direito Patric, nesta segunda-feira, durante entrevista coletiva. Ele, inclusive, detalhou qual deverá ser a principal arma do adversário: apostar em jogadas com os laterais.

“Temos inúmeras informações. Eles apostam muito na Sul-Americana. São seis jogos, quatro vitórias, dois empates. Uma equipe de muita força física, jogadores altos. Tem um zagueiro pela direita que sai muito bem, constrói o jogo deles. Os pontas gostam muito de vir buscar a bola, fazendo com que nossos laterais tenham que ir à caça deles. Uma estratégia de jogo pra que os laterais deles possam passar e explorar nossas costas”, disse o atleticano, com base nas informações levantadas pelo setor de análise da comissão técnica do clube.

Na sua entrevista coletiva, Patric falou até mesmo das dúvidas que o técnico Humberto Sierra possui para escalar o La Equidad. “Estão na dúvida se o lateral-esquerdo vai ser o de origem ou se vai ser o zagueiro, que é destro e joga pela esquerda. Tem um volante de primeira marcação, um segundo que bate as bolas paradas. O ponta pela esquerda é lateral de origem, mas atua na frente. O ponta direita deles é alto. Mais alguma coisa?”, brincou Patric. “É legal a gente passar para o torcedor (os detalhes), para ele ver que o atleta não é burro, e sim informado.”

E o defensor continuou esbanjando preparo para o jogo, também prometendo que não faltará empenho ao Atlético-MG para superar o La Equidad. “Eles têm revezado o centroavante. Um deles é panamenho, que é canhoto, só que eu acredito que eles devam jogar com o que tem se destacado e feito os últimos gols. Vou ficar devendo os nomes. Alguns consigo lembrar, alguns não, são nomes compostos. Mas os nomes pouco importam. O que importa é nossa atitude. Eles estão dando a vida na Sul-Americana, então temos que abrir os olhos e ficar muito atentos.”

Aos 30 anos, Patric demonstra conscientização de que é importante no futebol atual saber detalhes do adversário e aproveitar da tecnologia disponível para ampliar os conhecimentos. “Fico pensando se eu tivesse lá daquele lado, ia querer mostrar. Às vezes o torcedor não tem essa dimensão, não estuda como a gente estuda. Cada informação tem que ser analisada, porque estamos falando de estratégia. Quando a gente vai para guerra, temos que ter nossa estratégia. O torcedor já está fazendo a parte dele, que é comparecer. Vamos fazer a nossa. Juntos vamos fazer uma grande noite.”

Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com