segunda-feira, 22 de julho de 2019

Notícias

In:

Adeal apresenta balanço das ações desenvolvidas no setor agropecuário nos seis meses da nova gestão

Por Assessoria

Avaliação diagnóstica e um novo olhar dentro da Defesa Agropecuária de Alagoas; fiscalizações diárias de trânsito animal e vegetal nas rodovias estaduais, portaria contra focos de Peste Suína Clássica em estados nordestinos, a intensificação das fiscalizações para combater a prática de abate clandestino dentro do estado, a reestruturação física no órgão, com os servidores e também com o produtor rural, e muito diálogo com o segmento agropecuário, por meio de encontros e visitas. Em síntese, estas são as principais ações desenvolvidas pela Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), nos primeiros seis meses de gestão de Carlos Mendonça Neto, atual diretor-presidente.

Graças ao trabalho coletivo feito na Adeal, vários projetos importantes para a Defesa Agropecuária de Alagoas saíram do papel, com destaque a última campanha de vacinação da febre aftosa. Com a proposta de redução de gastos, a primeira etapa, quando comparada aos anos anteriores, apresentou um dos melhores resultados na quantidade de rebanhos vacinados e declarados. Alagoas atingiu a meta de vacinação contra a febre aftosa estabelecida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), registrando um índice de 95% da cobertura vacinal do rebanho de bovídeos em todo o estado, sem a necessidade de prorrogação.

Além disso, das diversas ações, destaca-se a portaria publicada em menos de um mês contra um foco de Peste Suína Clássica nos estados do Piauí e Ceará. A medida proibiu por tempo indeterminado, o trânsito interestadual de suídeos provenientes dos estados com foco declarado da doença, além da proibição do trânsito de produtos derivados, e subprodutos, exceto quando de procedência de estabelecimento certificados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Visitamos as principais feiras do Gado que funcionam nos municípios alagoanos, como Dois Riachos, Campo Grande e Arapiraca, que movimentam e potencializam a economia agropecuária no estado. Ouvimos os servidores, buscando melhorar a qualidade do trabalho oferecido, além de um conjunto de ações que visam sempre ampliar o diálogo entre a Adeal e os servidores, objetivando melhorar as condições de trabalho por meio de ações.

“Quando assumimos, nossa preocupação foi fazer com que o produtor rural entendesse sua importância dentro da Defesa Agropecuária. Procuramos desenvolver a ideia do pertencimento na categoria e para isso trabalhar perto dos produtores rurais, valorizando a função dentro do segmento. Toda essa humanização é necessária para efetiva prestação de serviço à sociedade”, destacou o diretor-presidente, Carlos Mendonça Neto.

Representamos Alagoas no Fórum Nacional do Executores de Sanidade Agropecuária (FONESA), em João Pessoa, para propor a troca de informações e experiências sobre a padronização das atividades de defesa agropecuária, no âmbito dos programas estaduais, como a febre aftosa e a peste suína no Nordeste. Composto por participantes dos estados do Nordeste, o encontro tratou pautas cujo objetivo é intensificar as demandas relacionadas ao setor agropecuário nos estados nordestinos.

Na ocasião, os estados de Alagoas e Bahia assinaram um Termo de Cooperação Técnica, faltando apenas a assinatura do Estado de Sergipe. A cooperação tem como objetivo atender às demandas do Plano Estratégico do Programa Nacional de Febre Aftosa (PNEFA 2017/2026) e prevenção à Peste Suína Clássica.

Ao longo desses seis meses, a Adeal incentivou as atividades educativas. Também seguimos realizando ações de educação sanitária com estudantes e diversos municípios receberam palestras agropecuárias, com o objetivo de informar e estimular a mudança de hábitos nas comunidades de produtores rurais.

Intensificamos as fiscalizações contra a prática do abate clandestino em Alagoas. Pensando no bem estar animal e na qualidade da carne consumida pelo alagoano, fechamos alguns pontos, retiramos de circulação muita carne oriunda da prática e que poderiam trazer danos e riscos à saúde pública. A Adeal tem o objetivo de coibir a proliferação de produtos clandestinos em Alagoas; inspecionamos abatedouros e o funcionamento deles.

Dentre as diversas ações, destaca-se também a implantação do canal “Fale Com O Presidente”, que visa proximidade e agilidade nos procedimentos relacionados ao órgão, deixando mais próxima a comunicação com o diretor-presidente do órgão. Através do canal, que funciona desde o mês de março, a Adeal recebe denúncias de diversas ações realizadas no segmento, além de sugestões para o melhor funcionamento.

Carlos Mendonça Neto destaca que a Adeal é composta por profissionais sérios, capacitados e comprometidos. “Todas as nossas ações até aqui e daqui para frente têm objetivos em comum: valorizar e proporcionar melhores condições de trabalho para nossos profissionais e trabalhar a proximidade com o produtor rural”, disse.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com