terça-feira, 30 de novembro de 2021

Notícias

In:

Prefeitura, instituições de apoio e shoppings conscientizam sobre o Outubro Rosa

Por Amanda Ferreira (estagiária)

A Prefeitura de Maceió, em parceria com a Associação de Pessoas com Câncer (Apecan) e a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Alagoas desenvolveram atividades em parceria com o Maceió Shopping e o Pátio Shopping para a conscientização sobre a prevenção e tratamento precoce do câncer de mama. As ações acontecerão durante todo o mês de outubro e contam com a participação de mulheres que estiveram ou estão em tratamento contra a doença.

Atividades contam com balcões de produtos e exposições fotográficas de mulheres em tratamento ou recuperadas do câncer de mama. Exposição fotográfica no Maceió Shopping. Foto: Ascom SMS.

De acordo com a coordenadora de Marketing, Rejane Cruz, o Maceió Shopping recebe essas associações há cinco anos e durante todo o mês de outubro, há promoções de ações para a conscientização sobre a detecção precoce do câncer de mama.

“Nesses 5 anos em que recebemos as casas de apoio, sempre tivemos o mesmo objetivo, que é o cuidado e o zelo que a mulher precisa ter para poder se prevenir contra o câncer de mama, ajudando essas mulheres que passaram por isso a ter uma melhor qualidade de vida e ajudá-las a venderem os produtos que elas mesmas fazem. Porque esses balcões são justamente para isso, para vender o que elas produzem, enquanto estão nesse processo de reabilitação”, explica.

Ações com foco no outubro rosa em shoppings de Maceió. Foto: Ascom SMS

Renata Paz, assessora de comunicação do Maceió Shopping, recebeu o diagnóstico em julho de 2019 e está em tratamento desde então.

“Eu descobri um nódulo através do autoexame. Minha mãe já teve câncer de mama duas vezes, então eu tinha pavor a essa possibilidade. Fiz todos os exames em 2019 e foi confirmado que era o câncer de mama. Eu optei por fazer a mastectomia bilateral, o que significa que retirei minhas duas mamas. Na realidade, foi uma opção, porque pela situação e pelo tamanho do nódulo, não tinha a necessidade de fazer a cirurgia, era só pra retirar um quadrante, então seria um procedimento mais simples, mas pelo histórico familiar, eu optei pela opção da retirada da mama. Então hoje eu uso próteses em minhas duas mamas”, explica.

Para Renata, o que mais impacta no câncer de mama é o tabu, o temor da descoberta, e deixa um recado para todas as mulheres.

“A mulher ainda tem medo de fazer o autoexame, a mamografia e a ultrassonografia, e é isso que a gente precisa combater, a falta de informação. A importância do tratamento precoce é fundamental. Eu descobri há tempo suficiente para ter sucesso em meu tratamento. Devemos combater essa falta de informação para que todas as mulheres tenham sucesso em seus tratamentos. Meu recado para as mulheres hoje é: Mulheres, vale a pena lutar. O monstro não é invencível, cada dia é um dia, e nós temos que viver um dia de cada vez. Esse sempre foi o meu lema”, destaca.

Ações em alusão ao Outubro Rosa. Foto: Ascom SMS.

A voluntária da Apecan Sandra Alves, que venceu a doença em 2018, é uma das participantes das atividades nos shoppings e dirigente da associação na região de Penedo.

“Com as atividades no shopping da Apecan e da Rede Feminina, nós, voluntárias, sempre aproveitamos a oportunidade para angariar fundos para as associações. Somos pacientes mastectomizadas e fazemos parte de uma equipe da Rede Feminina de Combate ao Câncer”, explica.

Balcões para arrecadação de fundos em shoppings de Maceió. Foto: Ascom SMS.

Ela faz uma reflexão sobre a importância da detecção precoce para o sucesso do tratamento. “Eu fui diagnosticada com 39 anos, descobri através do autoexame, depois fiz a mamografia e descobri a partir da minha biópsia que meu câncer era maligno. Hoje sou curada porque detectei precocemente”, destaca Sandra.

Ações em alusão ao Outubro Rosa. Foto: Ascom SMS.

Sobre a Associação de Pessoas com câncer (Apecan)

A Apecan oferece serviços em três frentes de suporte ao paciente com câncer – Casa Rosa, Casa de Apoio e Traslado Pela Vida. Por meio dessas entidades, as mulheres contam com serviços especializados para ajudar em tratamentos contra o câncer.

“Temos a demanda espontânea, que são mulheres que procuram a casa para fazer os exames e pegar a requisição para a realização do exame de mamografia. Além disso, temos duas médicas ginecologista, para auxiliar as mulheres em todo o tratamento. A outra demanda são as pacientes oncológicas, aquelas que já estão com o diagnóstico de câncer. A Apecan dá toda a atenção para as pacientes, conta com equipe multidisciplinar, que as acompanham. Realizamos visitas domiciliares e tem a casa de apoio para aquelas pacientes que vêm do interior e que estão em tratamento no Hospital Universitário”, destaca a presidente da Associação de Pessoas com Câncer, Giullyane Matos.

Sobre a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Alagoas

A Rede Feminina de Combate ao Câncer existe desde 1972, sendo pioneira na campanha Outubro Rosa em Alagoas. A instituição trabalha sem fins lucrativos, oferecendo serviços como são palestras, mamografias, entrega de próteses mamárias, doação de cabelos e bazar para obtenção de recursos.

“A rede tem vários projetos e vários programas, o bazar que estamos fazendo aqui no shopping é um dos programas da Rede Feminina, que é uma forma de ganhar recursos para a casa de apoio. Todo Outubro Rosa o shopping cede esse espaço para nós vendermos o nosso produto e toda a venda desses produtos é revestida para os nossos pacientes. Temos uma casa de acolhimento para pacientes em tratamento oncológico de diversos tipos de câncer, não só o de mama. Eles ficam lá, durante a semana para fazer todo o tratamento, sem pagar nada. Lá os pacientes têm um local para dormir, alimentação, transporte e remédios”, explica a voluntária Sônia Freitas.

Ações em alusão ao Outubro Rosa. Foto: Ascom SMS.

Mortalidade

Em 2020, mais de 2,3 milhões de mulheres no mundo descobriram que estavam com câncer de mama. Esse tipo de tumor é o que mais acomete a população feminina brasileira e representa cerca de 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas.

Em 2019, o Brasil registrou 18.068 mortes por câncer de mama, sendo o principal tipo da doença que leva mulheres a óbito. Projeções do Instituto Nacional de Câncer (Inca) até 2030 apontam para a estabilidade das taxas de mortalidade entre 30 e 69 anos, mas ainda estão bem distantes dos 30% de redução estabelecidos pela Organização das Nações Unidas.

Campanha

O Outubro Rosa é uma campanha internacional criada com a finalidade de sensibilizar a sociedade sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. Este é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres no país, atrás apenas dos tumores de pele não melanoma. A redução de risco, por meio de práticas saudáveis, autocuidado e diagnóstico precoce da doença são considerados os principais fatores para redução da mortalidade por câncer.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *