sexta-feira, 30 de julho de 2021

Notícias

In:

Reunião discute cronograma do projeto Favela 3D, na orla lagunar

Por Maurício Manoel

Nesta segunda-feira (14), uma reunião por videoconferência entre secretarias da Prefeitura de Maceió e representantes da ONG Gerando Falcões marcou o primeiro encontro pós-lançamento oficial do projeto Favela 3D, no Vergel do Lago. Na oportunidade, foram discutidos os primeiros passos do cronograma de planejamento para execução do programa.

Reunião remota ente secretários sobre o projeto Favela 3D.

Estiveram presentes o secretário adjunto de Habitação Popular, Eduardo Rossiter; o gestor da Seminfra, Nemer Ibrahim; o da Secretaria Municipal de Assistência Social, Carlos Jorge; além do secretário de Governança, Antônio Carvalho; e de Tamiris, especialista em relações governamentais da Gerando Falcões, que representou o CEO Eduardo Lyra.

“Vamos identificar as ações das secretarias da Prefeitura de Maceió para o Vergel do Lago. Com atenção especial para o aproveitamento de todo o espaço do empreendimento que está em construção na orla lagunar”, pontuou o secretário do Gabinete de Governança, Antônio Carvalho.

As obras do residencial Vilas do Mundaú estão aceleradas. No complexo habitacional, mais de 1.700 famílias serão contempladas com uma moradia própria, digna, segura e confortável. O secretário adjunto de Habitação, Eduardo Rossiter, destaca a importância do empreendimento.

“Não é apenas um projeto estruturante. O Vilas do Mundaú representa um dos pilares mais importantes, que é a moradia digna. Temos trabalhado diariamente para seguir avançando na construção”, disse.

Residencial Vilas do Mundaú, no Vergel do Lago. Foto: Davysson Mendes/Secom Maceió

Favela 3D

O projeto da Favela 3D vai ser uma porta de entrada para a emancipação social de várias famílias que vivem em situação de extrema pobreza no Vergel do Lago. No espaço, serão investidas tecnologias sociais das mais avançadas para trazer desenvolvimento para os moradores e, com isso, Maceió se tornará exemplo para o Brasil no combate à desigualdade.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *