quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Notícias

In:

Sesc Arapiraca recebe exposição inspirada no Cerrado Mineiro

Por Assessoria

O Cerrado Mineiro foi inspiração para cinco artistas que imprimiram em suas obras a essência desse bioma brasileiro tão rico.

A exposição “Acessos à Natureza”, que será inaugurada no próximo dia 15, às 19h30, na galeria de arte da Unidade Sesc Arapiraca, reúne trabalhos em desenho, gravura, pintura e fotografia realizados com base em pequenas excursões feitas pelas artistas à três reservas ecológicas do Cerrado Mineiro. As expedições iniciaram no decorrer do segundo semestre de 2017 e tinham o objetivo de apreender, in loco, o bioma do Cerrado. Curiosidades, novos encontros e o conhecimento adquirido, repercutiram em um conjunto de trabalhos apresentados nesta exposição.

O cerrado é um dos importantes biomas brasileiros, com vegetais, plantas nativas e animais próprios desse ambiente. É no cerrado, inclusive, onde estão as principais bacias hidrográficas do país, constantemente ameaçadas devido ao baixo volume de chuvas no período da seca. Foi nesse local que as artistas se depararam com uma coleção de palmeiras, iniciada por vontade pessoal do agrônomo Reges Teodoro, com sementes trazidas de viagens e trocas com outros colecionadores, e também com uma região de reserva natural devastada por queimadas.

Sobre as artistas

Coletiva formada por: Andressa Boel, Beatriz Rauscher, Nikoleta Kerinska, Mariza Barbosa, Priscila Rampin.

Andressa Rezende Boel

Artista Visual, cursou Graduação em Artes Visuais (2014) e Mestrado (2016) em Artes na Universidade Federal de Uberlândia. Em 2017 iniciou o Doutorado em Artes Visuais na Unicamp. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Poéticas da Imagem (GPPI-UFU), e do Grupo de Estudos sobre Arte Pública (GEAP-BR). Integra o grupo Strondum que realiza ações e intervenções urbanas. Atuou como monitora de expografia e montagem no Museu Universitário de Arte (MUnA-UFU). É professora em cursos livres de arte, é vegan, “bicicleteira” e “rueira”, o que impulsiona e inspira o seu “fazer” artístico em

diversas linguagens. Circula, vive e trabalha entre Uberlândia, MG e Campinas, SP.

Beatriz Basile da Silva Rauscher

Artista plástica. Doutora em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005). Mestre em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (1993) e graduada em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (1984). Realizou Estágio de Doutorado na UFR Cinéma et Audiovisuel na Universidade de Paris III (2003), sob orientação de Philippe Dubois. Atualmente é Professora Associada da Universidade Federal de Uberlândia, atuando no Curso de Graduação em Artes Visuais e no Programa de Pós-graduação em Artes. Orienta projetos de graduação e de pós-graduação em Poéticas Visuais. Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Artes/UFU (2010 -2012) e o Museu Universitário de Arte/UFU (2005-2008). Líder do Grupo de Pesquisa Poéticas da Imagem UFU. Pesquisadora do Grupo Processos Híbridos na Arte Contemporânea da UFRGS. Membro da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas (ANPAP) desde 2006. É editora responsável do periódico científico ouvirOUver do IARTE/UFU desde 2014. Tem experiência na área de Artes Visuais, com ênfase nas Poéticas da Imagem, atuando principalmente nos seguintes temas: fotografia, imagem numérica, imagem impressa, paisagem, poéticas urbanas. Têm realizado exposições individuais e coletivas e diversos estados e publicado artigos científicos em periódicos e anais de congressos no Brasil e exterior.

Nome em citações bibliográficas RAUSCHER, B. B. S. ; RAUSCHER,B.

Vive e trabalha em Uberlândia, MG.

Mariza Barbosa de Oliveira

Artista visual e professora de Arte na Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia (ESEB/UFU). Possui graduação em Artes Plásticas pela Universidade Federal de Uberlândia – Licenciatura e Bacharelado (2007) e Mestrado em Artes Visuais pela mesma instituição (2012) na linha de pesquisa: Práticas e Processos em Artes. Faz parte do Grupo de Pesquisa “Poéticas da imagem” UFU/CNPq, atuando como pesquisadora. É supervisora do projeto de Artes Visuais “Olho aberto: visualidades juvenis citadinas, da escola ao museu” vinculado ao PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à docência) na ESEBA/UFU. Vive e trabalha em Uberlândia, MG.

Nikoleta Tzvetanova Kerinska

Artista, pesquisadora e professora de arte na Universidade Federal de Uberlândia, formada em pintura e serigrafia pela Escola Nacional de Belas Artes (Sofia, Bulgária), com mestrado em Arte e Tecnologia da imagem, no departamento de Artes Visuais da Universidade de Brasília (VIS – IdA – UnB, Brasil) e doutorado em Artes Plásticas, Estética e Ciências da Arte pela Universidade de Paris I Panthéon-Sorbonne. Atualmente é membro do grupo de pesquisa Ficções e Interações, na Universidade de Paris 1, sob a direção de Bernard Guelton e vice-líder do grupo de pesquisa Poéticas

da Imagem, sob a direção de Beatriz Rauscher, na Universidade Federal de Uberlândia. Desde maio de 2015 atua como coordenadora do Museu Universitário de Arte – Muna, em Uberlândia. Sua pesquisa e produção artística têm como foco o uso da linguagem na arte contemporânea, e, as interfaces entre artes visuais e literatura. Em suas reflexões, ela se interessa pela simulação computacional como meio de construção de ficções artísticas, pelos diversos registros da linguagem natural, e, especialmente pelas noções de transmídia e de intermídia no campo da arte contemporânea. As convergências e as divergências entre texto e imagem como sistemas de signos dessemelhantes estimulam fortemente suas reflexões. Principais exposições FILE – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, SESI, São Paulo, (projeto LIA – web arte), Exposição coletiva, Galeria QUALCASA, São Paulo (Superfícies II, fotografias), Constelações, CAL – Galeria da Casa da America Latina, Brasília, (imagens computacionais, instalação); Special Selection/So Close So Far, Palácio da Cultura – Sofia, Bulgária, (imagens computacionais); En quête du lieu, exposição coletiva na Galeria Michel Journiac, Paris (vídeo); Les femmes des deux riviers – exposição coletiva, Mairie du X-eme arrondissement Paris (vídeo); Overlapping – exposição coletiva, Museu do Jardim Botânico, Rio de Janeiro; Vertikalni Moreta, (exposição individual; instalação e animação computacional), Galeria Russi Karabiberoff, Nova Zagora, Bulgária; TRANSIT (vídeo); Ciudad Invadida Projeto Itinerante – Facultad de Bellas Artes de San Carlos, Universidad Politécnica Valencia, Espanha; VIVEIRO SVETLINA, (instalação multimídia realizada como membro do grupo SD VILA), Luz da luz – SESC Pinheiros, São Paulo, Brasil; PIXELS DANCE (animação computacional), Conexões, exposição Internacional de Arte Eletrônica – Galeria Solar do Ferrão, Salvador, Brasil; REAL PLACES I (instalação), Conceito in ato, exposição coletiva dos professores do Departamento de Artes, UFU – Museu Universitário de Arte, Uberlândia, Brasil; Eternal Flyghts (imagens de síntese), VII Salão Internacional de Arte Digital, Havana, Cuba.

Priscila Rampin

Artista visual, pesquisadora em artes e professora efetiva do Curso de Licenciatura em Artes da UFOB – Universidade Federal do Oeste da Bahia. Doutoranda em Poéticas Contemporâneas pela UNB – Universidade de Brasília, Distrito Federal. Mestre em Estudos Contemporâneos das Artes pela UFF – Universidade Federal de Niterói e Bacharel em Artes pela UFU – Universidade Federal de Uberlândia.Tem participado de salões de arte, exposições e residências artísticas. Seu trabalho parte do interesse pelos aspectos simbólicos de uso e organização da cidade, a relação do homem com a natureza, e as camadas de significação reais e ficcionais implicadas nessas relações. Sua produção resulta em intervenções artísticas de caráter temporário, imagens impressas, desenhos e objetos. Transita entre Uberlândia,MG, Brasília, DF e o oeste da Bahia, locais onde vive e trabalha. Principais exposições Individuais 2016 Instituto de Pequenas Desordens, edição Joinville, Galeria Victor Kursancew, Joinville / SC 2014 Instituto de Observação de Pequenas Desordens, instalação, Uberlândia/MG 2012 Bem vindo ao Bosque das Águas, instalação, Galeria do Instituto de Artes, Uberlândia/ MG.

SERVIÇO

Exposição “Acessos à Natureza”

Local: Galeria de Arte da Unidade Sesc Arapiraca

Abertura: 15/10 às 19h30

Período de visitas: 16 de outubro a 13 de dezembro de 2019 (de segunda a sexta das 12h às 18h)

Informações e agendamentos: 3482-2400 / 3482-2402

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com