quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Notícias

In:

Alagoas recebe III Mostra Sesc de Cinema

Por Assessoria

m novembro, entre os dias 06 e 27, a terceira edição da Mostra Sesc de Cinema chega a Alagoas. Serão oito dias de exibição, com filmes selecionados nos panoramas nacional e estadual. As sessões acontecerão em Maceió e Arapiraca.

A Mostra Sesc de Cinema tem como objetivo promover a difusão do circuito cinematográfico brasileiro, sendo uma iniciativa de valorização da produção audiovisual no país. Lançada em 2017, conta com representantes de todas as regiões, procurando ampliar o acesso da população a uma filmografia que expresse a diversidade da produção contemporânea.

Na edição de 2019 foram inscritos 1200 filmes, entre curtas, medias e longas-metragens, provenientes de 210 cidades. Deste universo foram selecionadas 42 produções, sendo 10 infanto-juvenis, que compõem o Panorama Brasil.

A Mostra será lançada entre os dias 2 e 9 de novembro em Paraty-RJ. Após isso, as obras selecionadas serão exibidas em todo país até 15 de dezembro de 2019.

PROGRAMAÇÃO

ARAPIRACA:

Dias e Horários: 06, 20, 26/11 às 17:00

06, 20, 26 e 27/11 às 19:30

Local: Teatro Hermeto Pascoal, Sesc Arapiraca. R. Manoel Francisco Cazuza. Santa Edwiges

MACEIÓ:

Dias e Horários: 06, 13, 20 e 27/11 às 12:30

13, 20, 25, 26, 27 e 28/11 às 15:00

13, 20, 25, 26, 28 e 29/11 às 17:00

20, 25, 28 e 29/11 às 19:00

13/11 às 18:30 e 20:00.

26/11 às 18:30 e 19:40.

27/11 às 16:30, 18:00 e 19:30.

Local: Teatro Jofre Soares, Sesc Centro. Rua Barão de Alagoas, 229. Centro

ARAPIRACA

06/11 – Panorama Alagoas

Horário: 17:00

Filme: Saneamento Trágico (Dir.Zazo,72min)

Classificação: 14 anos

O documentário ‘Saneamento Trágico’ aborda a problemática da ausência de saneamento básico e a negação de direitos sociais no bairro da Levada, um dos mais antigos da capital alagoana. A Lagoa Mundaú, que margeia o bairro, sofre as consequências do abandono do poder público, sendo agredida diariamente com o despejo de esgoto e o lixo. O crescimento desordenado da cidade provoca o desequilíbrio ambiental, prejudicando as famílias que retiram seu sustento da Lagoa. “Saneamento Trágico” faz o relato do processo de povoamento do local, mostrando a degradação ambiental e as péssimas condições de vida da população do bairro, marcado pela violência, cujo baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) aponta a alarmante gravidade da situação de abandono que sofre aquela comunidade.

06/11 – Panorama Alagoas

Horário: 19:30

Filmes: Rotina, Última Carta, Serrote e Velha Infância (72 min)

Classificação: 12 anos

Rotina (Dir. Vitória Regina e Segio Onofre,13 min 54s) Rotina traz o cotidiano perverso e, em muitos casos silenciado, de agressões sexuais vivida pelas mulheres em diferentes faixas etárias. Crianças, adolescentes e adultas, nenhuma está imune a algum tipo de abuso, agressão ou assédio. Situações cotidianas de constrangimento, de violência, de muita dor e sofrimento.

Última Carta (Dir.Eduarda Marque e Sergio Onofre, 20min45s) Estefane e algumas amigas, em sua rotina adolescente, saem para conversar, tomar um sorvete, se divertir… Como de costume, param num barzinho onde todos costumam se reunir. Estefane só não sabia que depois daquela noite, nada mais seria como antes.
Velha Infância (Dir. Bianca Melo e Kerollaynn Gomes,20min10s) O que é a infância, senão um tesouro? Neste documentário desenterramos o baú e libertamos as memórias de uma das fases mais saudosas de nossas vidas. Crianças vestem a carapuça de adultos e contam as histórias como se suas próprias infâncias tivessem sido deixadas para trás.

20/11 – Panorama Alagoas

Horário: 17:00

Filme: O Anarquista de Santa Luzia (Dir. Lutero Melo,72min)

Classificação: Livre

O Documentário “O Anarquista de Santa Luzia”, mostra, a vida de Nô Pedrosa, nascido em Santa Luzia do Norte (AL), Região Metropolitana de Maceió, em 07 de setembro de 1939. Nô nos relata sobre o ambiente familiar em que viveu na infância até a fase adulta; Fala sobre socialismo, capitalismo, as disputas Políticas em Alagoas – a partir dos Anos 50; Os acontecimentos pré Golpe Militar de 64 em Alagoas e no Brasil ; O Golpe Militar de 64; O atentado ao aeroporto dos Guararapes em Recife; Fala também de diversos personagens políticos que vivenciaram o Golpe de 64; Como “tornou-se” anarquista” com sua saída do PCB após o golpe de 64 e; Por fim Nô discorre sobre a literatura alagoana dos escritores: Jorge de Lima , Graciliano Ramos e Ledo Ivo. Um documentário imperdível para se entender um pouco mais da história política de Alagoas por quem a viveu intensamente.

20/11 – Panorama Alagoas

Horário: 19:30

Filmes: Nas palmas das mãos de Deus, Terapeutas Tradicionais, Fernandes, De água e reza e Parteiras (81 min)

Nas palmas das mãos de Deus (Dir. Ailton da Costa,1min) A seca que tudo devora segue sua marcha, destruindo tudo em seu caminho, implacável, mas o sertanejo, este ser iluminado, retira do solo as palmas da terra em meio ao triste espetáculo da escassez.

Terapeutas Tradicionais (Dir. Arilene de Castro,24min44s) Este documentário é parte integrante do Inventário de Saberes e Fazeres da Pessoa Idosa do Campo de Alagoas, que se propõe a criar ferramentas de registro, proteção e transmissão do conhecimento tradicional sustentado por sábios (as) especialistas da Produção Artesanal, Gastronomia Popular, Farmacopeia e Parteria Tradicional no Agreste e Sertão alagoanos.

Fernandes (Dir. Coletiva,20min) A história da Vila Fernandes e seus moradores. Documentário realizado através do projeto NAVI NAS COMUNIDADES, Oficinas de produção audiovisual nas comunidades.
De água e reza (Dir. Rodrigo Barros Gewehr, 10min58s) O filme traz narrativas de Rosa, Mazé e Firmina, rezadeiras da região de Água Branca, no alto sertão das Alagoas. Três mulheres que fazem das palavras e de suas gestualidades uma terapêutica para quem as procura.

Parteiras (Dir. Arilene de Castro, 24min) No Sertão e Agreste alagoanos, mulheres partejavam através das técnicas do cuidado e do amor. Com a mesma naturalidade que encaravam o nascimento, contam suas histórias recheadas de afeto e bom humor.

26/11 – Panorama Alagoas

Horário: 17:00

Filmes: O poeta do Barro Vermelho, As cores do meu reisado, O homem das coisas, Entre as linhas do tear, Violando o Esquecimento e Chau do Pife (83 min)

Classificação: Livre

O poeta do barro vermelho (Dir. Matheus Nobre, 6min5s) Neste sarau animado, o ativista ambiental Toinho Pescador recita seus versos para nos contar sua história e a de sua cidade, ambas fortemente ligadas ao Rio São Francisco. Através de suas percepções do quê e de como as coisas mudaram, vemos um contraste entre passado e presente e somos alertados sobre os desafios que o Velho Chico encara nos dias de hoje e de como todo o ecossistema é afetado.

As cores do meu reisado (Dir. Ailton da Costa, 5min11s) Mestre Gerson Paulino dos Santos conheceu sua esposa em meio as danças do reisado. A construção de sua família está associada com as cores e os ritmos que fizeram parte de toda sua vida.
O homem das coisas (Dir.Coletiva,13min17s) Seu Edvaldo gosta de coisas velhas. Documentário realizado por alunos da Comunidade Rural Bananeiras em Arapiraca/AL, através do Projeto NAVI NAS COMUNIDADES.
Entre as linhas do tear (Dir. Marcelo Nivaldo da Silva Junior,10min50s) Este documentário entrelaça a história de três artesãos do bairro Pontal da Barra, onde vivem da produção e venda do bordado Filé. Os personagens contam como começaram a rendar, além da atual situação da venda do patrimônio imaterial de Alagoas.

Violando o esquecimento (Dir. Bruno Fernandes / Mário Zeymison,30min) A história de artistas populares de Palmeira dos Índios contada por alguns dos seus personagens e por pessoas que conhecem bem a vida de quem fez da arte a sua maneira de expressar-se para o mundo.
Chau do Pife (Dir. Celso Brandão,19min13s) Documentário musical de curta metragem, entremeado por depoimentos autobiográficos, sobre José Prudente de Almeida, o CHAU DO PIFE, virtuose deste instrumento (o pífano), capaz de tocar em várias formações, do solo à orquestra sinfônica, passando pelos conjuntos de jazz e forró.

26/11 – Panorama Alagoas

Horário: 19:30

Filmes: Operação Harpa, Imaginários Urbanos, O que é que as batingas tem? e Admirável Mundo Destro (92 min)

Classificação: Livre

Operação Harpa (Dir. Daniel Milano,26min30s) Após presenciar e registrar uma serie de fenômenos anômalos, Rafael se encontra envolvido em uma investigação governamental denominada “Operação Harpa”.

Imaginários Urbanos (Dir. Glauber Xavier,24min40s) Imaginários Urbanos mixa arte, corpo e cidade, esboçando inquietações de um grupo de pesquisadores e artistas dispostos a estimular reflexões sobre as representações simbólicas da cidade de Maceió.
O que é que as batingas tem? (Direção Coletiva,17min) A vida na comunidade das Batingas é mostrada pelos seus próprios moradores. Documentário realizado através do projeto NAVI NAS COMUNIDADES, Oficinas de produção audiovisual nas comunidades rurais de Arapiraca, Alagoas.

Admirável Mundo Destro (Dir. Luiza Leal,25min) Em um mundo planejado para pessoas destras, a minoria canhota experimenta a vida ao contrário. O documentário visita cidades no Brasil e na Europa para mostrar o cotidiano em comum de quem nasceu à esquerda da sociedade e refletir sobre como o lado esquerdo tem sido associado ao mal na história da humanidade.

27/11 – Panorama Alagoas

Horário: 19:30

Filmes: Como ficamos da mesma altura, Anima, Coração sem freio, No outro dia, A noite estava fria, Besta-fera ( 84 min)

Classificação: 14 anos

Como ficamos da mesma altura (Dir. Laís Araújo,17min44s) Contrariada, Laura viaja para o interior de Alagoas com o pai. Na casa da família, é deixada sozinha por ele, que só retorna à casa para o jantar. Laura isola-se, até que se vê forçada a ir à rua – lá fora, ela compreende um pouco seu pai, mas não o suficiente para fazer a relação funcionar.
Anima (Dir. Claudemir Silva e Robson Cavalcante,13min49s) Comovido com o estado de saúde de sua prima Bia, Pedro, um professor de química, tenta convencer sua tia a submeter a jovem a um novo tipo de tratamento, fornecido pela empresa Anima. Nesta trama que envolve cigarros, coco verde e eletricidade, cabe ao expectador responder uma pergunta: o que realmente importa na vida é ser feliz?
Coração sem freio (Dir. Cris da Silva e Hallana Lamenha,8min46s) Débora não tem freio no coração.

No outro dia (Dir. Ester Lima e Vanessa Geovana,7min26s) Gabriel está indeciso se vai ou não pra festa com Rafael.
A noite estava fria (Dir. Leonardo A. Amorim,17min44s) Bruno é um jovem do interior que lida com a solidão após se mudar para estudar na capital. Deposita suas inseguranças em Caio, outro universitário que conheceu pela internet, mas só ocasionalmente eles podem se encontrar.

Besta-fera (Dir.Wagno Godez,22 min) Final do século XIX, Isolados no sertão de alagoano, mãe e filho acolhem um homem desconhecido e ferido em casa, fato que muda os rumos de suas vidas.

MACEIÓ

06/11 – Panorama Alagoas

Horário: 12:30

Filme: Saneamento Trágico (Dir.Zazo,72min)

Classificação: 14 anos

O documentário ‘Saneamento Trágico’ aborda a problemática da ausência de saneamento básico e a negação de direitos sociais no bairro da Levada, um dos mais antigos da capital alagoana. A Lagoa Mundaú, que margeia o bairro, sofre as consequências do abandono do poder público, sendo agredida diariamente com o despejo de esgoto e o lixo. O crescimento desordenado da cidade provoca o desequilíbrio ambiental, prejudicando as famílias que retiram seu sustento da Lagoa. “Saneamento Trágico” faz o relato do processo de povoamento do local, mostrando a degradação ambiental e as péssimas condições de vida da população do bairro, marcado pela violência, cujo baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) aponta a alarmante gravidade da situação de abandono que sofre aquela comunidade.

13/11- Panorama Brasil (Nordeste 1)

Horário: 12:30

Filme: Orin: música para os orixás (Dir. Augusto Barreto, 92min)

Classificação: Livre

Os cantos e ritmos tocados nos terreiros de candomblé tiveram grande influência na construção rítmica de diferentes gêneros da música popular brasileira, como samba, baião, axé music e funk carioca. ‘Orin’ é o nome iorubá dado às cantigas sagradas do candomblé, que têm o papel de fazer a comunicação entre o mundo material e espiritual. O documentário longa-metragem mostra a trajetória de Iuri Passos, professor de atabaque no terreiro do Gantois, em Salvador-BA, e primeiro alabê a conquistar o título de mestre em etnomusicologia pela UFBA. Praticantes da religião, pesquisadores e artistas como Mateus Aleleuia, Letireres Leite, Gerônimo Santana e Gabi Guedes falam sobre a resistência dessa tradição musical e sua relação com a dança, transe e mitologia dos Orixás.

13/11- Panorama Brasil (Infantil)

Horário: 15:00

Filmes: Vivi lobo e o quadro mágico, Icamiabas, Hornzz , Lily’s hair , Clandestino, A câmera de João , O malabarista. (102 min)

Classificação: Livre

Vivi lobo e o quadro mágico (Dir. Ulisses Galetto,13min) Muito prazer! Meu nome é Vivi Lobo. Essa história é sobre as portas que devemos abrir ao longo da vida, enquanto humanos, enquanto meninas.

Icamiabas (Dir. Aron Miranda,11min39s) Um explorador comercial inveterado, o Bio Pirata, foi até a feira do Veropa para pilhar bem no dia em que as Icamiabas tinha ido fazer a feira para Tupam. Derrotado, ele decide se vingar juntando as duas inocentes criatura, o Mapim e o Guari em uma enorme e destruidora força de comer que pode acabar com a Feira do Veropa rapidinho, o insaciável Mapimguari!

Hornzz (Dir. Felipe dos Santos,5min) Como cada escolha reflete em nossas vidas? Através da narrativa surrealista de Hornzz, acompanhamos as escolhas e desafios da menina Lu, viajando por experiências únicas em cenários lúdicos.

Lily’s hair (Dir. Thiago Camargo,14min44s) Lily é uma garota negra que não gosta de seus cabelos. Com a ajuda de Caio, seu amigo cadeirante, tenta ter os cabelos do jeito que sempre sonhou.

Clandestino (Dir. Adam Viana,24min) Tereza é uma garota comum, com uma imaginação nada comum. No caminho para encontrar sua mãe e entregar uma encomenda muito preciosa, sua imaginação corre livre pelas paisagens do interior, enquanto ela vai viver aventuras ao lado de sua avó.

A câmera de João (Dir. Georgia cynara e Rogério Sobreira, 21min55s) Uma faixa de luz passa por uma pequena perfuração, e se faz imagem. João descobriu que fotografias são heranças.

O malabarista (Dir. Thiago Camargo,10min55s)

Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades.

Dia: 13/11-Panorama Brasil (Juvenil)

Horário: 17:00

Filmes: Poética de barro, Cravo, lírio e rosa, Parda (56 min)

Classificação: 14 anos

Poética de barro (Dir. Jackson Abacatu, 6min12s)

Bucólico, delicado e sensível, o curta-metragem Poética de Barro, animado em stop motion com argilas do Vale das Viúvas de Maridos Vivos e baseado nos trabalhos das ceramistas mineiras, retrata a saga de uma pequena criatura, que precisa sobreviver às vicissitudes da vida. Se todas as barreiras serão transpostas, apenas assistindo para descobrir.

Cravo,lírio e rosa (Dir. Gustavo Silveira,20min) Cê, uma menina de oito anos, tropeça no cadáver de uma adolescente. A aparição do corpo muda drasticamente a vida de Cê e de sua irmã mais velha, Sara.

Parda (Dir.Tai Linhares,29min) Um regime autoritário planeja restaurar a supremacia branca no Brasil. Sua primeira medida é exigir a volta ao país de todos os brasileiros brancos vivendo no exterior. Em meio ao caos político, Tai precisa provar que não é branca, mas se depara com a própria incerteza sobre sua identidade racial. O filme desbrava o território ambiguo do conceito de raça no Brasil, seguindo rastros deixados pelo passado colonial e pela história familiar da diretora. Uma viagem exploratória entre a ficção e o documental.

Dia:13/11- Panorama Alagoas

Horários: 18:30

Filmes: Rotina, Última Carta, Serrote e Velha Infância (72 min)

Classificação: 12 anos

Rotina (Dir. Vitória Regina e Segio Onofre,13 min 54s) Rotina traz o cotidiano perverso e, em muitos casos silenciado, de agressões sexuais vivida pelas mulheres em diferentes faixas etárias. Crianças, adolescentes e adultas, nenhuma está imune a algum tipo de abuso, agressão ou assédio. Situações cotidianas de constrangimento, de violência, de muita dor e sofrimento.

Última Carta (Dir.Eduarda Marque e Sergio Onofre, 20min45s) Estefane e algumas amigas, em sua rotina adolescente, saem para conversar, tomar um sorvete, se divertir… Como de costume, param num barzinho onde todos costumam se reunir. Estefane só não sabia que depois daquela noite, nada mais seria como antes.
Velha Infância (Dir. Bianca Melo e Kerollaynn Gomes,20min10s) O que é a infância, senão um tesouro? Neste documentário desenterramos o baú e libertamos as memórias de uma das fases mais saudosas de nossas vidas. Crianças vestem a carapuça de adultos e contam as histórias como se suas próprias infâncias tivessem sido deixadas para trás.

Dia: 13/11-Panorama Alagoas

Horário: 20:00

Filme: Saneamento Trágico (Dir.Zazo,72min)

Classificação: 14 anos

O documentário ‘Saneamento Trágico’ aborda a problemática da ausência de saneamento básico e a negação de direitos sociais no bairro da Levada, um dos mais antigos da capital alagoana. A Lagoa Mundaú, que margeia o bairro, sofre as consequências do abandono do poder público, sendo agredida diariamente com o despejo de esgoto e o lixo. O crescimento desordenado da cidade provoca o desequilíbrio ambiental, prejudicando as famílias que retiram seu sustento da Lagoa. “Saneamento Trágico” faz o relato do processo de povoamento do local, mostrando a degradação ambiental e as pésssimas condições de vida da população do bairro, marcado pela violência, cujo baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) aponta a alarmante gravidade da situação de abandono que sofre aquela comunidade.

Dia: 20/11- Panorama Brasil (Sudeste 2)

Horário: 12:30

Filme: Fabiana (Dir. Brunna Laboissière,89 min)

Classificação: 12 anos

Fabiana, mulher trans, viveu como uma nômade caminhoneira por todo o Brasil durante mais de trinta anos. Porém, a aposentadoria se aproxima e ela deverá deixar para trás suas aventuras na estrada.

Dia: 20/11- Panorama Alagoas

Horário: 15:00

Filme: O Anarquista de Santa Luzia (Dir. Lutero Melo,72min)

Classificação: Livre

O Documentário “O Anarquista de Santa Luzia”, mostra, a vida de Nô Pedrosa, nascido em Santa Luzia do Norte (AL), Região Metropolitana de Maceió, em 07 de setembro de 1939. Nô nos relata sobre o ambiente familiar em que viveu na infância até a fase adulta; Fala sobre socialismo, capitalismo, as disputas Políticas em Alagoas – a partir dos Anos 50; Os acontecimentos pré Golpe Militar de 64 em Alagoas e no Brasil ; O Golpe Militar de 64; O atentado ao aeroporto dos Guararapes em Recife; Fala também de diversos personagens políticos que vivenciaram o Golpe de 64; Como “tornou-se” anarquista” com sua saída do PCB após o golpe de 64 e; Por fim Nô discorre sobre a literatura alagoana dos escritores: Jorge de Lima , Graciliano Ramos e Ledo Ivo. Um documentário imperdível para se entender um pouco mais da história política de Alagoas por quem a viveu intensamente.

Dia 20/11- Panorama Alagoas

Horário: 17:00

Filmes: Nas palmas das mãos de Deus, Terapeutas Tradicionais, Fernandes, De água e reza e Parteiras (81 min)

Nas palmas das mãos de Deus (Dir. Ailton da Costa,1min) A seca que tudo devora segue sua marcha, destruindo tudo em seu caminho, implacável, mas o sertanejo, este ser iluminado, retira do solo as palmas da terra em meio ao triste espetáculo da escassez.

Terapeutas Tradicionais ( Dir. Arilene de Castro,24min44s) Este documentário é parte integrante do Inventário de Saberes e Fazeres da Pessoa Idosa do Campo de Alagoas, que se propõe a criar ferramentas de registro, proteção e transmissão do conhecimento tradicional sustentado por sábios (as) especialistas da Produção Artesanal, Gastronomia Popular, Farmacopeia e Parteria Tradicional no Agreste e Sertão alagoanos.

Fernandes (Dir. Coletiva,20min) A história da Vila Fernandes e seus moradores. Documentário realizado através do projeto NAVI NAS COMUNIDADES, Oficinas de produção audiovisual nas comunidades.
De água e reza (Dir. Rodrigo Barros Gewehr, 10min58s) O filme traz narrativas de Rosa, Mazé e Firmina, rezadeiras da região de Água Branca, no alto sertão das Alagoas. Três mulheres que fazem das palavras e de suas gestualidades uma terapêutica para quem as procura.

Parteiras (Dir. Arilene de Castro, 24min) No Sertão e Agreste alagoanos, mulheres partejavam através das técnicas do cuidado e do amor. Com a mesma naturalidade que encaravam o nascimento, contam suas histórias recheadas de afeto e bom humor.

Dia:20/11- Panorama Alagoas

Horário: 19:00

Filmes: O poeta do Barro Vermelho, As cores do meu reisado, O homem das coisas, Entre as linhas do tear, Violando o Esquecimento e Chau do Pife (83 min)

Classificação: Livre

O poeta do barro vermelho (Dir. Matheus Nobre, 6min5s) Neste sarau animado, o ativista ambiental Toinho Pescador recita seus versos para nos contar sua história e a de sua cidade, ambas fortemente ligadas ao Rio São Francisco. Através de suas percepções do quê e de como as coisas mudaram, vemos um contraste entre passado e presente e somos alertados sobre os desafios que o Velho Chico encara nos dias de hoje e de como todo o ecossistema é afetado.

As cores do meu reisado (Dir. Ailton da Costa, 5min11s) Mestre Gerson Paulino dos Santos conheceu sua esposa em meio as danças do reisado. A construção de sua família está associada com as cores e os ritmos que fizeram parte de toda sua vida.
O homem das coisas (Dir.Coletiva,13min17s) Seu Edvaldo gosta de coisas velhas. Documentário realizado por alunos da Comunidade Rural Bananeiras em Arapiraca/AL, através do Projeto NAVI NAS COMUNIDADES.
Entre as linhas do tear (Dir. Marcelo Nivaldo da Silva Junior,10min50s) Este documentário entrelaça a história de três artesãos do bairro Pontal da Barra, onde vivem da produção e venda do bordado Filé. Os personagens contam como começaram a rendar, além da atual situação da venda do patrimônio imaterial de Alagoas.

Violando o esquecimento (Dir. Bruno Fernandes / Mário Zeymison,30min) A história de artistas populares de Palmeira dos Índios contada por alguns dos seus personagens e por pessoas que conhecem bem a vida de quem fez da arte a sua maneira de expressar-se para o mundo.
Chau do Pife (Dir. Celso Brandão,19min13s) Documentário musical de curta metragem, entremeado por depoimentos autobiográficos, sobre José Prudente de Almeida, o CHAU DO PIFE, virtuose deste instrumento (o pífano), capaz de tocar em várias formações, do solo à orquestra sinfônica, passando pelos conjuntos de jazz e forró.

Dia: 25/11- Panorama Brasil (Sudeste 1)

Horário: 15:00

Filme: Navios de terra (Dir. Simone Cortezão,70 min)

Classificação: 12 anos

Há anos a montanha é deslocada entre dois países (Brasil e China). Rômulo, ex- minerador e agora marinheiro, segue levando parte da montanha e vai ao encontro de outra. Na imensidão do mar, ele conhece outros viajantes, e em momentos febris encontra as memórias e o espírito da terra. Num cotidiano atravessado por outras línguas que ele não fala, mesmo sem entender, as conversas em desencontro acontecem. Assim, Rômulo vai enfrentar dias lentos na imensidão do oceano até o outro continente.

Dia: 25/11- Panorama Brasil (Sul 1)

Horário: 17:00

Filmes: Abrindo as janelas do tempo e Almofada de penas (75 min)

Classificação: 12 anos

Abrindo as janelas do tempo (Dir. Aline Lúcia Vieira / Cilene Juciane Borba,60min) Abrindo as janelas do tempo é uma ópera folclórica narrada pelas canções do espetáculo homônimo do grupo catarinense Cantadores de Engenho. Aprisionada em si mesma, a personagem central luta para encontrar-se e viver no presente. Suas confusões temporais envolvem o espectador fazendo-o experimentar de perto essas vivências. A história se passa num vilarejo caiçara em três épocas diferentes revelando muita sensibilidade. O filme traduz uma história de amor, de perda, espera e de aceitação.

Almofada de penas (Dir. Joseph Specker Nys,12min17s) Logo após sua lua de mel, Alicia contrai uma doença inexplicável, enquanto seu marido Jordão presencia tudo de modo indiferente. Algo oculto a está enlouquecendo. A doença faz a jovem mulher mesclar a realidade com alucinações monstruosas.

Dia:25/11-Panorama Brasil (Centro-Oeste 1)

Horário: 19:00

Filmes: Quilombo mata cavalo e Parque Oeste (85 min)

Classificação: 12 anos

Quilombo mata cavalo (Dir. Jurandir Amaral,15min) No Quilombo Mata Cavalo, quilombolas distribuídos em seis comunidades resistem para preservar seus traços culturais, manter a integração comunitária e conquistar a regularização das terras herdadas de seus ancestrais.

Parque Oeste (Dir. Fabiana Assis ,70min) Depois de ser vítima de violência do Estado, em Goiânia, Brasil, uma mulher reconstrói sua vida, transformando seu luto em luta para que todas as mulher e homens possam viver em um mundo mais justo, em que os direitos humanos básicos, como o acesso à moradia, possam ser assegurados.

Dia: 26/11- Panorama Brasil (Nordeste 1)

Horário: 15:00

Filme: Orin: música para os orixás (Dir. Augusto Barreto, 92min)

Classificação: Livre

Os cantos e ritmos tocados nos terreiros de candomblé tiveram grande influência na construção rítmica de diferentes gêneros da música popular brasileira, como samba, baião, axé music e funk carioca. ‘Orin’ é o nome iorubá dado às cantigas sagradas do candomblé, que têm o papel de fazer a comunicação entre o mundo material e espiritual. O documentário longa-metragem mostra a trajetória de Iuri Passos, professor de atabaque no terreiro do Gantois, em Salvador-BA, e primeiro alabê a conquistar o título de mestre em etnomusicologia pela UFBA. Praticantes da religião, pesquisadores e artistas como Mateus Aleleuia, Letireres Leite, Gerônimo Santana e Gabi Guedes falam sobre a resistência dessa tradição musical e sua relação com a dança, transe e mitologia dos Orixás.

Dia:26/11-Panorama Brasil (Sul 3)

Horário: 17:00

Filmes: Catadora de gente, Quando as coisas se desmancham e Isso me faz pensar (64 min)

Classificação: Livre

Catadora de gente (Dir. Mirela Kruel, 18min,18s) Catadora de Gente é Maria Tugira Cardoso. Há 30 anos a personagem do filme dedica sua vida a catação de lixo. O filme, através de um tocante depoimento, expõe as ideias a respeito da vida, dos preconceitos e da dura trajetória desta mulher, como tantas outras mulheres catadoras no Brasil. Com sua fala lúcida a respeito da vida e de suas complexidades, Tugira narra sua história e propõe ao espectador uma reflexão profunda sobre as desigualdades sociais do Brasil.

Quando as coisas se desmancham (Dir. Michele Dalpasqual,21min11s) Ana muda de cidade para morar com o pai que está com alzheimer. Ana estuda para o Enem e faz vídeos. Ana não quer esquecer.

Isso me faz pensar (Dir. Hopi Chapman, 24min53s) A rapper Negra Jaque, o slammer Pablo, o dançarino Julinho e o rapper Rael Real enfrentam desafios para sobreviver trabalhando com a cultura hip hop na periferia de Porto Alegre. Este documentário mostra o processo criatívo, as superaçoes e sonhos desta gurizada.

Dia: 26/11- Panorama Brasil (Sudeste 3)

Horário: 18:30

Filmes: Da curva pra cá, Jéssika, Do outro lado e Plano Controle (68 min)

Classificação: 12 anos

Da curva pra cá (Dir. Raphael Araújo,19min) Dizem que, quando você está sonhando, a única forma de descobrir se é um sonho é acender a luz.

Jéssika (Dir. Thaysa Paulo,18min34s) Jéssika é uma travesti. Anos depois de deixar o interior do Nordeste, retorna para sua cidade natal. Nessa viagem, reencontra sua história e a si mesma.

Do outro lado (Dir. Bob Yang & Frederico Evaristo,14min) Às vésperas de uma importante decisão, a juíza da Corte Suprema de Taiwan recebe uma carta inesperada.

Plano Controle (Dir. Dayse Barreto,16min) O ano é 2016. Um golpe da direita derruba a primeira mulher eleita presidenta no Brasil. Nesse contexto político distópico, Marcela usa o serviço de teletransporte de seu celular para deixar o país, mas seu plano é controle.

Dia:26/11- Panorama Brasil (Nordeste 3)

Horário: 19:40

Filme: Estrangeiro (Dir. Thalita Sales, Jamila Facury,115 min)

Classificação: 14 anos

Elisabete (Cecilia Retamoza) viveu sua infância com seus pais na paradisíaca praia de Tabatinga, no nordeste do Brasil. Distante do contato com outras crianças, tinha em Daniela (Bruna Belmont) sua única amiga. Devido a um misterioso trauma, Elisabete abandona o seu lar e nunca mais permanece em um só lugar. Aos trinta anos, Elisabete anseia por uma identidade. Ela não se sente confortável em sua própria pele, uma estrangeira em seu mundo.

Dia: 27/11- Panorama Brasil (Norte 1)

Horário: 12:30

Filmes: O Céu dos Índios Desâna e Tuiuca, Vozes da memória, Francisco e Chamando os Ventos: por uma cartografia dos assobios

Classificação: 12 anos

O Céu dos Índios Desâna e Tuiuca (Dir. Flávia Abtibol e Chicco Moreira, 26 min) O documentário O Céu dos Índios Dessâna e Tuiuca tenta desvendar a astronomia indígena produzida por estas etnias amazônicas que acreditam no conhecimento do céu como saber complementar às suas vidas na terra.
Vozes da memória (Dir. Raíssa Dourado, 33 min) O filme evidencia a identidade cultural da cidade de Porto Velho, Rondônia, retratando o rio, personagens, costumes, a geografia afetiva da cidade, em uma composição de imagens de forma não ordenada que possa expressar a identidade submersa da cidade Vozes da Memória, através do registro audiovisual, vocifera sobre o olhar contemporâneo da história a partir das vozes da periferia, da juventude, dos artistas, das comunidades indígenas, dos ribeirinhos e imigrantes. Confrontando o antigo e o novo, com a finalidade de oferecer um documento audiovisual sobre a formação da identidade cultural da cidade de Porto Velho.

Francisco (Francisco Teddy Falcão, 20 min) Francisco tenta viver a sua vida longe de tudo o que lhe faz lembrar um episódio específico na sua infância: a morte de seu pai, que fora vítima de um crime de ódio difícil de superar. Mas ao encontrar seus documentos antigos em arquivos velhos em casa, passa a entender o seu papel como homem negro e a importância da luta contra o racismo no Brasil.

Chamando os Ventos: por uma cartografia dos assobios (Dir. Marcelo Rodrigues, 13min) “Chamando os Ventos: por uma cartografia dos assobios”, é um documentário sobre a ação imaginante de chamar os ventos por meio

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com