terça-feira, 20 de agosto de 2019

Notícias

In:

“Homenagem aos Pais”

Por Oduvaldo Persiano

Este comentário, em face da  Sublime e Divina Data que se comemora festivamente, é uma justa Homenagem a um SER cujas qualidades, além das que integram sua personalidade, são descritas  no Mini Dicionário Aurélio,8ª. Edição revista,pag. 556 : “ Homem que deu Ser a outro (s) , que tem um ou mais filhos, progenitor. Aquele que exerce as funções de Pai. Papai. Criador ou Fundador de Doutrina, etc.  Pai de Família. Indivíduo que tem mulher e filhos. Como visto, trata-se de uma figura que ocupa lugar especial no âmbito familiar, sem o qual a Familia simplesmente não existia.

 Os milhões de Pais que povoam o mundo, desfrutam  de situações diferenciadas, complexas, simples, dominantes, subalternas, poderosas, afortunados, desnutridos, doentes, encarcerados, hospitalizados , bondosos, cruéis, amigos, inimigos e tantas outras que seria cansativo aqui enumerá-las. Entendo que numa data de tamanho significado , caberia dar um tom mais acentuado aos que estão desempregados, sub-empregados, que vivem com um minguado salário-mínimo insuficiente para sustentar a  família (mesmo não sendo numerosa). Não deslembrar os desventurados, desassistidos que, por ironia do destino, enveredaram por caminhos tortuosos, os irresponsáveis, os que destruiram suas famílias e espancam mulheres, até por motivos banais, sobressaindo-se o Ciúme , este Verme abominável.

De qualquer maneira, numa análise geral, sem paixões, sem discriminação, sem  classificação odienta, o saldo é extremamente positivo. Vamos simbolicamente acompanhar o dia-a-dia do nosso Heroi anônimo:  levanta-se cedinho; quase sempre não faz uma refeição mínimamente sustentável ou até mesmo sai para o trabalho em Jejum ; espera horas no Ponto de Ônibus normalmente entupido de passageiros em semelhante  situação; enfrenta tarefas duras, sem segurança, sob chuva ou sol. Seu retorno ao Casebre ,padece do mesmo sacrifício . Não dispõe de geladeira e/ou fogão. A comida, fraca e pouca, é feita por sua mulher frágil, desnutrida , usando carvão ou lenha, tomando apenas duas refeições diárias. O filho ( ou filhos), mal  dormidos e vestidos precariamente, quando encontram vagas nas longínquas Escolas Públicas sem estrutura pelo menos sofrível, desafiam um percurso grande,a pés, mal alimentados. Não conseguem, sequer, concluir o Curso Médio. Não há futuro assegurado.

Este quadro triste do ponto de vista humano, ao contrário, enobrece e exalta mais ainda a figura do PAI, porque oferece enorme apoio aos filhos. Em muitos casos, suprimem parte de suas escassas refeições, para dar ao(s)  Rebento(s) o que lhe (s) falta. É forçoso admitir que esta classe sofrida guarda mais amor , mais afeto e carinho à prole, geralmente, do que os beneficiados pela sorte. Muitos da Elite ( não se faz generalização), estão no  topo da Pirâmide e gozam de toda espécie de beneficio que a vida moderna introduziu na nossa Sociedade. São, contudo, sempre PAIS. Ainda que um pouco ausentes de todos os deveres que lhes são inerentes à nobre qualidade própria da espécie humana. À parte, também, os que não têm abrigo e nem comida. Dormem ao relento, sob Marquises, nas ruas, abandonados. .Vejo, pela manhã, nas minhas caminhadas ,( sou um dos privilegiados ), pessoas em situação de Rua, famintas e doentes, abraçando o filho (a) com um olhar distante e lânguido. Lamentável !!!!  

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com