quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Notícias

In:

Paulo Betti deleta vídeo em que diz ter sido expulso de Igreja Universal

O ator Paulo Betti se envolveu em uma polêmica ao criticar o bispo Edir Macedo e a postura de um funcionário que o impediu de gravar parte de uma reunião em um templo da Igreja Universal do Reino de Deus na cidade de Teresina, no Piauí, onde passou na última segunda-feira, 22.

“Fui gravar com o celular e quase levei porrada! Por que? Por que é proibido gravar o (argh) bispo Edir Macedo usurpando a palavra de Deus?”, reclamou Betti em sua página do Facebook.

O fato gerou uma resposta oficial por parte da Igreja Universal, que acusou o ator de “preconceito” e alegou que ele foi “educadamente alertado que não são permitidos registros de imagem no interior dos templos da Universal”.

No vídeo publicado por Paulo Betti, um homem dirige-se ao ator e diz: “Não pode filmar aqui, não”. “Por que não?”, questiona Paulo. “Porque não, há uma lei, não pode filmar”, prossegue o funcionário da igreja.

“Eu entro na igreja católica e filmo”, tenta argumentar Betti. “Mas aqui não é igreja católica”, diz . Na sequência, o ator é perguntado o motivo de estar filmando: “Para mim!”

“Ué, mas onde tá escrito que não pode filmar? Me mostra”, pede Betti, irritado. O funcionário responde: “Tem ali na parede aponta para uma placa. Vamos ali, vamos filmar ali”. Neste momento, o ator vai embora do templo.

Pouco depois das 14h30 desta terça-feira, 23, as publicações referentes ao caso não estavam mais disponíveis para o público na página de Paulo Betti no Facebook.

Após o ocorrido, Paulo Betti usou o Facebook para criticar a Universal: “O telão tem imagem e som horríveis, mas havia uns 40 fiéis. Na igreja do outro lado da praça, a de Nossa Senhora do Amparo católica, não havia mais do que três fiéis e podia gravar à vontade, sem ser agredido por cão de guarda”.

Ainda na nota oficial, a igreja afirmou que Betti “passou a ofender o pastor que conversava com ele e saiu da Igreja atacando o Bispo Edir Macedo e os fiéis que assistiam à reunião”, em alusão à postagem feita por ele na rede social.

“Ou seja, enquanto reclamava de um desrespeito que teria sofrido, o ator desrespeitava uma proibição que é pública – e está afixada em avisos nas paredes do templo – e ofendia milhões de membros da Universal em todo o Brasil, insultando seu líder espiritual.”

A nota ainda compara a atitude de realizar uma gravação no templo da Universal com o ato de homens não utilizarem kippah em sinagogas, entrarem calçados em mesquitas ou deixar ombros e pernas à mostra em templos budistas.

A nota encerra afirmando que “o ator Paulo Betti pode se considerar formalmente convidado para visitar a Universal de sua escolha”.

Confira a íntegra das postagens de Paulo Betti e da Igreja Universal sobre o caso ocorrido em Teresina abaixo:

Clique aqui

Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com