segunda-feira, 22 de Abril de 2019

Notícias

In:

Ademi recebe presidente do TJ-AL, desembargador Tutmés Airan, em reunião almoço

Por Assessoria

 Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi-AL) recebeu, na tarde desta quarta-feira (27), o presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), desembargador Tutmés Airan, e a juíza auxiliar Lorena Sotto, representando o corregedor Geral de Justiça, desembargador Fernando Tourinho, durante uma reunião-almoço. O encontro foi promovido para estreitar os laços entre as instituições, ocasião em que a Ademi-AL pôde apresentar as ações desenvolvidas pela entidade.

A reunião contou também com a presença do presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas (Sinduscon-AL), Alfredo Brêda, com o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas, (Crea-AL), Fernando Dacal, além dos diretores e associados da Ademi-AL.

Abrindo a reunião, o presidente da Ademi-AL, Jubson Uchôa, agradeceu a presença de todos e fez um breve histórico da Associação, ressaltando o importante papel social que a instituição desempenha. “A Ademi foi fundada há mais de trinta anos com o objetivo de congregar os dirigentes de empresas que atuam no mercado imobiliário. Ao longo de toda a sua trajetória, nossa associação tem demonstrado sua constante preocupação com a sociedade, apresentando imóveis de qualidade, de condições dignas, independente de sua localização ou área construída. Nosso papel com a sociedade vai além, quando nos importamos em continuar fomentando a economia do estado, sendo o segundo setor que mais gera empregos” – ressaltou o presidente.

Dando continuidade ao raciocínio de Uchôa, o superintendente da instituição, Rick Magalhães, mostrou aos presentes as atividades que a instituição desenvolve anualmente, através de uma apresentação. Ações de responsabilidade social, seminários técnicos e os eventos que fomentam o mercado imobiliário, foram apesentados, um a um, dando um panorama do que é a Ademi-AL. “Poucas pessoas conhecem este trabalho que desenvolvemos e cabe aqui ressaltarmos que a Ademi trabalha, incansavelmente, para oferecer aos nossos colaboradores formação de qualidade, inserção na sociedade, como um todo, além de desenvolvermos obras projetadas sob o pilar da sustentabilidade, primando pelo meio ambiente”, explicou o superintendente.

Taxas cartorárias

Durante a reunião, Uchôa aproveitou a oportunidade para pedir apoio do judiciário alagoano na luta do setor por menores taxas cartorárias. “Nós queremos ser compreendidos. Diferente do que muitos pensam, esta luta não é em defesa de interesses particulares, mas sim, e especialmente, de interesse da nossa clientela, a sociedade alagoana. Com as custas cartorárias mais acessíveis, mais fácil será para qualquer cidadão concretizar a aquisição da casa própria, independente da sua condição social. O princípio é democrático e extensivo a todos”, ressaltou.

Em resposta, o presidente do TJ/AL revelou apoio à instituição, colocando-se à disposição da Ademi para resolver o impasse. “É uma satisfação enorme estar aqui, diante desta oportunidade de conhecer um pouco mais sobre esta instituição que muito me admira. Quero, primeiramente, parabenizar a Ademi pela postura de nos chamar para conversar sobre este problema que a aflige, afinal, problemas se resolvem conversando. Aproveito a oportunidade para me colocar à disposição da entidade nesta situação. Entendo que o setor é extremamente importante para economia do estado e o que estiver ao meu alcance para facilitar a vida das empresas que geram empregos em Alagoas, eu farei. Sei que esta também é a posição do nosso corregedor geral de Justiça, Fernando Tourinho. Por tanto, contem conosco e fiquem à vontade para nos procurar sempre que acharem necessário”, disse.

Representando o desembargador Fernando Tourinho, Lorena Sotto também se posicionou a favor da instituição. “Agradeço pelo convite a esta simpática reunião, ao tempo em que os parabenizo pelas ações que vocês desenvolvem. É bonito constatar que os senhores têm a preocupação com quem trabalha com vocês, lá na ponta, que são os colaboradores das obras. Aproveito aqui para dizer que esta conversa é muito necessária. Nosso código de taxas e emolumentos é de 1961 e precisa ser atualizado para acompanhar as mudanças que aconteceram ao longo dos anos. Sabemos que a Ademi já apresentou, inclusive, sua colaboração na construção da reformulação de um novo código e nós vamos aprová-lo o mais breve possível”, finalizou.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com