quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Notícias

In:

James Ribeiro afirma que só reagiu porque foi provocado

Por Redação
James Ribeiro

James Ribeiro

O prefeito James Ribeiro garante que o incidente entre ele e o vereador Agenor Leôncio foi uma armação. Segundo o prefeito, tudo aconteceu foi uma tentativa de atrapalhar a candidatura da dra. Verônica e rotular os candidatos da chapa “A verdadeira Mudança, avança Palmeira” de violentos.

De acordo com James Ribeiro o prefeito, a assessoria de Agenor Leôncio estava no local pronta para gravar qualquer coisa que acontecesse. “A Quitéria é assessora dele e estava lá, com o celular na mão. Não sou um homem violento, não tenho segurança, não ando armado e nem gosto de aparecer na mídia. Sou uma pessoa simples e do bem. Eles estão desesperados porque tinham a eleição como ganha e estão vendo que a nossa campanha cresceu, que fizemos uma caminhada com quase dez mil pessoas nas ruas. No mesmo dia, disseram que eu estava dando ‘banana’ para o povo nas ruas. Não conseguiram tirar fotos, porque estávamos com as mãos levantadas durante toda a caminhada, mas tentaram induzir as pessoas e depois nos pediram desculpas pelas redes sociais. E ainda insultaram o meu filho pelo telefone. Como eles viram que isso não tinha surtido efeito, resolveram partir para outro ataque durante a carreata do domingo”, disse James Ribeiro.

E continuou. “Como eles não têm como atacar a doutora Verônica ficam armando essas coisas. Espero que as pessoas tenham consciência e vejam que esse vídeo com o vereador foi uma armação, que ele foi editado. Tanto que o vídeo só saiu no outro dia. Ele me insultou, me chamou de ladrão e eu nada fiz. No vídeo dá para perceber que a gente já tinha passado, mas quando eu vi o braço da Mosabelle sangrando por causa das pedradas, atiradas pelos assessores dele, reagi. Me julguem se colocando em meu lugar, principalmente qualquer pai de família, que estivesse com seus filhos e sua esposa, e fossem agredidos moralmente e fisicamente, na frente deles, por um homem de fora, que anda com seguranças armados e sabia que a gente ia passar ali. Comigo, eu já tinha aguentado até o nome de ladrão, mas quando vi a agressão física contra a minha mulher, perdi a calma e tive que descer e tomar as providências com aquele vereador e prestar um Boletim de ocorrência contra esse monstro, por agressão moral e física”, afirmou o prefeito.

Ouça parte da entrevista de James Ribeiro às emissoras de rádio

O vídeo em questão circulou pelas redes sociais e movimentou bastante a semana dos palmeirenses. Nele, aparece o prefeito James Ribeiro (PMDB) correndo em direção ao vereador Agenor Leôncio (PSB), na tentativa de agredi-lo fisicamente. O caso ocorreu no domingo (11) à tarde, quando uma carreata da candidata à prefeita dra. Verônica passava pelo conjunto no Edval Gaia, local comunicado à Justiça Eleitoral previamente, no mesmo momento em que o vereador, que concorre à reeleição pela coligação do candidato a prefeito Júlio Cézar, discursava para um pequeno grupo de eleitores.

Testemunhas disseram que ao ver o prefeito passar Agenor Leôncio mudou o tom do discurso e começou a insultar James Ribeiro, dizendo que ali passava o “prefeito que mais roubou na história de Palmeira” e que ele era “ladrão desesperado”.

Ainda de acordo com testemunhas, a equipe de Agenor Leôncio atirou pedras na caminhonete onde estavam a dra. Verônica, James, candidatos a vereadores e a primeira-dama Mosabelle Brasileiro, que foi atingida em um dos braços. James reagiu, desceu do veículo e correu até Agenor, acertando-o de raspão.

O caso foi parar na 5ª Delegacia Regional de Polícia (5ª DRP) de Palmeira dos Índios, onde James e Mosabelle prestaram queixa e foi gerado um Boletim de Ocorrência (B.O). No mesmo dia, a primeira-dama do município de Palmeira dos Índios Mosabelle fez um desabafo pelas redes sociais, pedindo que a campanha política do município fosse feita com muita paz e amor.

Por causa deste episódio envolvendo os dois políticos, o juiz da 10ª Zona Eleitoral, Geneir Marques, suspendeu os minis-comícios, carretas, caminhadas e grandes reuniões de todos os candidatos a prefeitos e vereadores do município por um período de quatro dias, que começou na terça-feira (13) e durou até a sexta-feira (16).

O vereador Agenor Leôncio só se manifestou sobre o ocorrido três dias depois do incidente, na tribuna da Câmara de Vereadores. Ele rompeu o silêncio e falou sobre o fato que ganhou repercussão estadual. Agenor relembrou sua trajetória em Palmeira dos Índios desde 1998 – quando chegou à cidade e disse não ter culpa no lamentável caso.

Exercente do primeiro mandato de vereador, após duas derrotas consecutivas, Leôncio que se elegeu pela coligação de James Ribeiro em 2012, hoje é candidato à reeleição no grupo de oposição capitaneado por Júlio Cezar, outro vereador dissidente da base do atual prefeito.

João Beltrão, padrinho de Agenor Leôncio em comício com Julio Cezar

João Beltrão, padrinho de Agenor Leôncio em comício com Julio Cezar

O vereador é ligado ao deputado-estadual João Beltrão que o enviou para Palmeira dos Índios quando comandava a Casal em governos anteriores. Cabo eleitoral de Beltrão, Leôncio se tornou notório ao fazer ligações de abastecimento de água para comunidades rurais do município palmeirense. Nesta campanha Leôncio conseguiu atrair para o palanque de Júlio Cezar seu ‘padrinho político’ João Beltrão e o filho deputado-federal Marx Beltrão (PSD) que tem interesse em ser candidato ao Senado em 2018.

Em que pese o histórico divulgado pela imprensa de violência de seu padrinho político, até este fato de domingo, não se teve notícias de envolvimento do vereador em caso policial, como ele mesmo narra no depoimento na tribuna da Câmara. Leôncio negou as acusações e disse acreditar na Justiça quando tiver de ser resolvido o caso em que está envolvido.

“Não é verdade que ataquei a primeira-dama, Mosabelle com uma pedra. Eu seria incapaz de atacar uma mulher, muito menos ela. Minha maior tristeza é porque isso ocorreu diante de minha esposa e minha filha, mas entrego tudo isso a Deus. Acredito na justiça alagoana que isso não ficará impune”, disse o vereador.

A candidata à prefeita dra. Verônica publicou um depoimento no Facebook para estancar a distorção sobre o caso que se profilerou pela próprias redes sociais. Verônica, que não teve participação no incidente, refutou qualquer ato de violência – especialmente contra mulheres – e ressaltou que o fato lamentável ocorrido no domingo era de ordem pessoal.

A candidata se diz tranquila e confirmou o prosseguimento de sua campanha, afirmando que se for vitoriosa fará o bem, mas com o seu jeito de governar.

Gostaria de dizer que sou contra qualquer ato de violência, não importa de onde ela venha. Não me solidarizo com a violência de quem quer que seja, menos ainda quando uma mulher é atingida. Pois, como diz o poeta, em mulher não se bate nem com uma flor. Mas atenção, estão querendo tirar proveito disso, estão querendo me envolver numa questão pessoal, onde eu não apareço na cena. Querem tirar o foco daquilo que realmente importa: discutir as soluções para os problemas da nossa cidade. Sinceramente, em que uma desavença entre dois homens pode melhorar a sua vida? 

Não vou reduzir a minha campanha a isso.

Se estou aqui, nessa campanha, é para fazer o que sempre fiz: trabalhar para o bem das pessoas. Sempre foi assim e, se Deus quiser, assim será a partir de janeiro, com o meu jeito de governar”, afirmou.

Compartilhe:
Tags: ,,

Comente no Facebook

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com