quinta-feira, 18 de julho de 2019

Notícias

In:

Embrapa conhece possíveis áreas de instalação na região metropolitana

Por Redação Com Agência Alagoas
Instalação da unidade da Embrapa em Alagoas foi confirmada no final do mês de janeiro pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu Fotos: Petrônio Viana

Instalação da unidade da Embrapa em Alagoas foi confirmada no final do mês de janeiro pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu Fotos: Petrônio Viana

A equipe da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) responsável pelo processo de instalação de uma unidade do órgão em Alagoas visitou nesta terça-feira (23), ao lado do secretário de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos, diversas áreas na região metropolitana de Maceió, inclusive nos municípios de Rio Largo e Marechal Deodoro, com potencial para receber o projeto estrutural.

De acordo com o pesquisador João Flávio Veloso, coordenador do estudo da Embrapa para implantação, um documento elaborado pela equipe será encaminhado ao conselho de administração da empresa para direcionar as ações.

 “A nossa missão aqui é fazer um levantamento, conversando com os parceiros, sobre o foco de atuação, sobre algumas questões importantes para subsidiar as tomadas de decisões que serão feitas pelo conselho. Nós estamos visitando várias regiões do Estado para consolidar esse documento”, explicou Veloso, acrescentando que a equipe deverá ficar em Alagoas pelos próximos dois meses para levantar as informações necessárias.

De acordo com o secretário Álvaro Vasconcelos, uma das metas da missão da Embrapa em Alagoas é verificar as alternativas para reduzir os custos da construção da sede. Nesse sentido, segundo Vasconcelos, o Governo do Estado não descarta a possibilidade de articular a doação ou desapropriação de uma área para a instalação da empresa.

“Nós visitamos várias áreas hoje e a Embrapa vai analisar a situação demográfica de cada uma delas para definir a localização. Eles querem uma região que facilite o acesso ao aeroporto e ao porto de Maceió, além de avaliar as condições do trânsito terrestre. Essa será uma decisão técnica. O governador Renan Filho está determinado em trazer essa unidade para Alagoas. Então, ele não vai medir esforços até mesmo para desapropriar uma área. Mas, a princípio, vamos verificar se existe uma área do próprio Governo do Estado ou do Governo Federal. Estamos considerando essas possibilidades”, afirmou o secretário.

A instalação da unidade da Embrapa em Alagoas foi confirmada no final do mês de janeiro pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu. O tema principal da nova sede será “Alimentos Funcionais, Aromas e Sabores”, dentro da estratégia adotada pelo ministério para atender a demandas de mercado. A abrangência das pesquisas, no entanto, de acordo com João Flávio Veloso, não estará restrita ao tema escolhido.

“A decisão sobre o tema decorre do planejamento estratégico que o Ministério da Agricultura está fazendo com relação a várias cadeias produtivas, principalmente no atendimento a vários segmentos de mercado que estão crescendo. Isso se dá no mundo inteiro. Na Europa, nós temos diversos setores da agricultura que se baseiam nessa questão do atendimento à demanda urbana de turismo e gastronomia. Esse tema escolhido para Alagoas é muito importante. É só visitar o Estado que se pode perceber que esse tema é bastante relevante, mas há outros temas também que merecem ser levados em consideração, outros setores da produção agropecuária importantes como a cana, a pecuária, a cadeia do coco, do leite, da horticultura. Nós estamos conversando com esses segmentos, identificando outros pontos favoráveis que possam ser somados a esse tema que o Ministério da Agricultura define em função de uma agenda estratégica importante para o país e importante para o Nordeste”, explicou Veloso.

“A Embrapa trabalha em rede. Já somos 47 unidades de pesquisa. Já temos uma unidade experimental aqui em Alagoas, ligada à unidade Tabuleiros Costeiros, em Sergipe. Esses outros temas passam pelo nosso radar e são importantes. O que vai ser feito aqui, será também em articulação com esses outros 47 centros que a Embrapa tem por todo o país. É importante que o produtor alagoano saiba que a Embrapa já desenvolve tecnologia aqui, mas, tendo esse centro em Alagoas, nós poderemos nuclear melhor essas atividades e orientá-las de maneira mais organizada e estratégica”, disse o  pesquisador da Embrapa.

Capacitação

No final da manhã desta terça-feira, a equipe da Embrapa esteve reunida com o secretário Álvaro Vasconcelos, com o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) em Alagoas, Fernando Dória, e com representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Alagoas (Faeal) para discutir a possibilidade de atuação da empresa na capacitação de técnicos alagoanos em diversos segmentos. O encontro aconteceu na sede da Faeal, no bairro de Jaraguá, em Maceió.

“Estamos verificando quais as expectativas dessas entidades relacionando as áreas em que podemos contribuir com essas capacitações para incluir isso em nossa programação. Queremos ampliar a parceria que já existe entre esses órgãos e o grupo da Embrapa que já atua em Alagoas”, disse o pesquisador João Flávio Veloso.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com