quinta-feira, 18 de Abril de 2019

Notícias

In:

Alves Correia: “se não for eleito deixarei a política”

Por id5

O ex-deputado estadual e vereador, Alves Correia (PT do B), falou com exclusividade com a reportagem da TRIBUNA DO AGRESTE sobre as eleições de 2012. Durante a entrevista o radialista falou da pré-candidatura a prefeito de Arapiraca, seu relacionamento com o atual prefeito do município Luciano Barbosa (PMDB) e da deputada federal Célia Rocha (PTB), que também é pré-candidata a prefeita de Arapiraca. Alves ainda analisou a conjuntura política do município e o apoio governista ao secretário de Estado, Rogério Teófilo (PSDB), para disputa em outubro.
Alves Correia fez questão de frisar que sua candidatura é independente e tem apoio de amigos, pois “quem vai julgar o que é melhor para o povo de Arapiraca são os eleitores”, garante o radialista. Ao ser indagado se aceitaria compor chapa com alguns dos favoritos: Rocha e Teófilo, Alves foi enfático: “só sou candidato se for a prefeito, outro cargo não aceito”.
O pré-candidato revelou que os rumores para que ele seja vice em algumas das chapas existe, mas não é nada oficial. “Se eu recebi convite de alguma das partes estaria mentindo, até porque todos sabem que sou prefeito ou nada. A população sabe dos relevantes serviços que tenho prestado a sociedade arapiraquense.”
Ainda sobre o assunto, de sua possível composição de chapa com outros candidatos, Alves deixou claro: “se não for eleito deixarei a política, já que aí sei em que nível está à política alagoana. Aí não dá mais pra mim. Eu não compro voto, não tenho ninguém bancando minha candidatura. O que tenho é povo ao meu lado”.
Sobre seus futuros adversários, Alves Correia disse que os admira, inclusive, tem um apreço pessoal por Célia Rocha, Rogério Teófilo e o atual prefeito Luciano Barbosa. “Não faço política criticando ninguém e nem querendo atacar pessoalmente que quer que seja, eu apenas faço o meu trabalho. Sei que Célia, Luciano, Rogério foram importantes para o desenvolvimento da cidade, mas é hora de se fazer muito mais. Arapiraca pode ser muito maior e muito melhor”, colocou o radialista.

Crescimento assusta adversários

A TRIBUNA DO AGRESTE teve acesso a pesquisas de bastidores, extraoficial, que aponta Célia Rocha na primeira colocação, seguido por Teófilo e em terceira colocação Alves, bem próximo do candidato governista. O que causa estranheza nos números é os percentuais de Correia, que se apoiasse alguns dos candidatos certamente seria o fiel da balança.
Como sua adesão para alguns dos pré-candidatos é algo, impossível, segundo ele, o descentralização das eleições favorece o grupo de situação encabeçado por Célia Rocha. A deputada federal pode ser eleita pela terceira vez prefeita de Arapiraca e consolidar a liderança política de Luciano Barbosa, abarcada pelo senador Renan Calheiros (PMDB).
A pouco mais de seis meses da eleição, o cenário da principal cidade do Agreste alagoano está indefinido. Outros grupos políticos de esquerda ainda não se pronunciaram quanto ao apoio ou disputas próprias. Alguns empresários da região também fazem lobby para entrar no páreo, mas até agora as siglas perecem bem amarradas em torno dos três pré-candidatos.

Arapiraca faz parte do xadrez

As eleições do próximo mês de outubro irá nortear a disputa majoritária para o governo de Alagoas, em 2014. A discussão para esse pleito passa pelo segundo maior colégio eleitoral do Estado, a cidade de Arapiraca, que hoje é administrada por um dos maiores cabos eleitoral do senador Renan Calheiros, o prefeito Luciano Barbosa.
Por mais que Renan Calheiros negue o desejo de disputar a cadeira de governador, que hoje é ocupada por Teotônio Vilela Filho (PSDB), o peemedebista não consegue transmitir sua fala da mesma forma que exerce suas ações. Calheiros age como candidato, pensa como candidato. Junto com Collor de Mello, Renan articula um nome forte para prefeitura de Maceió, que teria como vice um indicado do prefeito da capital, Cícero Almeida (PP) e do industrial João Lyra (PSD).
A primeira ideia da dupla Calheiros/Collor era reeditar o chapão do segundo turno das eleições majoritárias de 2010. Com Ronaldo Lessa (PTB) enrolado com seus processos, dificilmente o ex-governador passará pela Lei da Ficha Limpa e não conseguirá ser o candidato a prefeito do grupo liderado por Renan.
Outro ponto que pesa contra a dupla de senadores é a entrada de João Lyra, de vez, na disputa sucessória de Almeida. Ao invés de bancar financeiramente algum figurão, o industrial resolveu embarcar em mais uma disputa majoritária. As peças não se movimentam em harmonia na capital para Collor e Calheiros.
Já em Arapiraca, as peças do xadrez parecem se mexer com mais concordância. Com o nome de Célia Rocha confirmado para o pleito, em sucessão o nome de Luciano Barbosa, os adversários começam a montar o bloco oposicionista para por fim a sequência de mandatários de uma aliança durante décadas na cidade do Agreste.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com